Dez livros pouco conhecidos, mas muito bons.

Untitled 1

Então você meteu o pau na sua amiga por que ela leu o 50 Tons de Cinza, mas você mesmo não leu nada melhor que ela e não sabe como sambar na cara dela? Quer sambar então? Eu acho que antes de sambar você tem que saber gafanhoto(a). E nada de usar este post ou resumo de Wikipédia pra isso, eu sei que sua conta bancária está ás moscas, mas ainda existe biblioteca neste mundo.

Que? Não tem tempo? Mas pra outras coisas você tem?

 

 

 

 

httpi.imgur.com7TDmL.gif

 

Enfim… Vou ajudar você a dar aquela caprichada no seu cérebro por que este Blog não é chamado de Cérebro Voltaiko a toa (tá na placa). Vou colocar livros unitários, e muito embora minha mão esteja coçando para colocar Harry Potter e o Rei do Inverno do Bernard Cornwell não vou colocar, por que assim como fiz na lista dos filmes trilogias e/ou sequências são casos a parte, além do mais, a proposta é conhecer livros menos comerciais, menos fast-food literário, se você não gostar da lista… Leia Crepúsculo e seja feliz!

Então vamos lá…

10 – A Vida Como Ela É – Nelson Rodrigues

vidacomoela

Livro tenso do começo ao fim. coloquei em décimo, mas é bom que se saiba que nesta lista nenhum livro é melhor que o outro, cada um tem uma linguagem e um estilo próprio do Escritor, o que torna cada um o melhor em um aspecto diferente. Este livro é uma coletânea de contos escritos para o jornal Última Hora, sendo publicado de 1950 á 61. Para mim, se você quer entender o Brasil, você tem que ler Nelson Rodrigues, Muita gente ODEIA o Véio Nelson por que ele era anti-comunista, machista e porta voz das elites.

*

*

*

Mas por mil satanases, por que então você está recomendando este cara para minha leitura e edificação? 

Primeiro por que eu não tenho bem certeza quanto ás afirmações sobre o Véio Nelson, aliás, eu mesmo discordo e duvido muito de quase todas elas e já briguei com muita gente por causa disto, ao ponto de chamarem a polícia pra mim e eu ver o sol nascer quadrado mentira

Segundo, por que como dizia, este livro é um meio interessante de compreender o Brasil, são varias histórias, sem ligação entre elas e que narram o cotidiano dos brasileiros do seu tempo, daí que desde 61 até hoje, me parece que só as roupas e a tecnologia mudou, isto por que ele trata de temas universais e atemporais, temas aliás, muitas vezes cômicos ou pesadíssimos como assassinato, loucura, casamento (coloquei este evento aqui, mas juro que foi por acidente) homossexualidade (lembra aí 1950), tudo isto com um senso de humor pra lá de negro. Enfim, é um choque de realidade com palito na boca, pão-na-chapa e cerveja no boteco.

A rede bobo fez uma mini-série que só assisti depois de velho por que tinha saliência, mas na minha opinião, não tem poura nenhuma a ver com o livro, mas poura nenhuma mesmo! Leia o conto que abre o livro, chama-se O Inferno. Meu amigo, sua cara vai cair, no mínimo.

(Em breve post sobre Nelson Rodrigues, garanto que este post vai dar merda…)

Próximo.

9 – Júlio César – Shakespeare 

julius-caesar

Este livro é um Marco Antônio na história da literatura mundial, quer dizer, na realidade não é pra tanto, é um livro sensacional que narra a conspiração dos últimos dias do homônimo ao livro, é sensacional pela beleza de seus versos e da sua construção, se alguém me perguntasse (mas ninguém pergunta, pfff) por qual livro eu começo a gostar de Shakespeare? A resposta esta aí.

Este livro já foi citado em uma porrada de lugares na cultura pop, O capítulo um do Arco da HQ do Demolidor do Brian Michael Bendis fecha com uma fala do livro, até o nome de um famigerado livro, vem de uma citação deste ai, adivinha qual é o livro aproveitador, e oportunista que usa o Shakespeare pra poder vender lixo e assombrar o pobre Shakespeare no Hades

“A culpa, caro Brutus, não está nas estrelas, mas de nós mesmos, que nos rebaixamos ao papel de instrumentos (…)”

aí ai…

Próximo.

8 – Snuff – Chuck Palahniuk

7779_snuff_chuck_palahniuk_sonatine

Mais um da pesada.

Chuck Palahniuk é o mesmo cara que escreveu o Livro do Clube da Luta, então você pode imaginar o que vem deste livro. se o Nelson Rodrigues é um poço de rancor contra o mundo Chuck (esse nome… sei lá…) é o mesmo, com um humor negro bem mais absurdo. Eu ri do começo ao fim, mesmo não gostando muito do final do livro…

Por que gostar deste livro? Diferente de Clube da luta este livro ficou bem desconhecido do grande público, primeiro por que não fizeram um filme dele (ainda) e segundo pelo tema que aborda.

yDJ4Whe

 

Não o gif não está errado.

Se você que está lendo isto for homem, pode estar fatalmente incluso em uma enorme e colossal horda porcentagem de homens que assistem pornografia, (não que mulheres não assistam, mas a grande maioria dos “consumidores” é masculina) pois este livro é uma espécie de manifesto contra a pornografia. A história se baseia em um fato real, em 1995 pela atriz Annabel Chong, se relacionou com 70 homens ao longo de dez horas, no livro uma mulher tenta quebrar este recorde com * CAHAM* 600 HOMENS. A história é contada a partir dos homens que efetuarão o ato, todos sem nome, identificados por seus números em ordem de aparição no filme. Este livro aborda questões muito interessantes sobre o feminismo por exemplo. Será que aquela mina feminista do seu trampo sabe mesmo o que está falando de verdade? E se ela só estiver fazendo o que o machismo e o patriarcado querem e não sabe? Ou ainda, e se ela acha que é feminista ou é só sexista mesmo? Por que se as mulheres são livres para fazerem o que bem quiserem do corpo, então se elas quiserem ceder para 600 caras seria justo? A pornografia, mesmo que seja feita com consentimento é algo válido? Mesmo que #TODOMUNDO sabe que ninguém quer ser Pornstar quando crescer? Enfim, estes são alguns dos vários questionamentos que o livro apresenta. 

 

7 – O Manifesto do Partido Comunista – Karl Marx Friedrich Engels

photo_engels-friedrich_001

AaaaaaaaaaaI MAIS QUE BLOG MAIS RIDÍIIIICULO, MAIS CAFOOOOOONAAA! NÃO VOU LER MAIS NADAAAH! QUE NOJINHO!!

Ah, então você acha que eu estou fazendo panfletagem? Que eu sou um comedor de criancinhas? Que eu sou um maldito petralha? Que eu faço Doutrinação Marxista? Que eu escrevo merda? 

Pode ser, quem sabe?

Antes de você torcer seu narizinho europeu da classe média e vir com esta de que eu tenho que escrever um texto imparcial e sem política, lembre-se que os homens fazem política de um jeito ou de outro. Neste caso defendo minha imparcialidade com o seguinte argumento; Delfim Neto, o cara do “milagre econômico brasileiro” (risos) o que assinou o AI-5 Tem a MAIOR biblioteca Marxista do Brasil e segundo, muito preconceito político seria eliminado se as pessoas (vocês pelo menos) lessem o manifesto, as pessoas seriam mais felizes cantariam pelas ruas e o mundo seria melhor! 

Whatever…

O Manifesto, não é a melhor obra do Marx, mas ainda assim é visionária e sensacional, relativamente fácil de entender e te dá base pra entender muitos porquês neste mundo cão. Das muitas obras do Marx eu recomendo também O Capital e o O 18 de Brumário de Luís Bonaparte, mas aí é por sua conta e risco…

578632_483575758339930_613380973_n

Seria engraçado se não fosse trágico…

Não sei se vocês lembram, mas no Post sobre a Marina Silva citei a frase de um desconhecido, era o Marx no 18 Brumário.

Mensagem Subliminar, agente se vê por aqui… Próximo.

 

 

 

 

 

 

 

 

6 – Provos: Amsterdã e o Nascimento da Contra-Cultura – Matteo Guarnaccia

provoscapa

Isto aqui tá virando Horário Político? Não, claro que não, mas se você quer entender deste mundo e ter neurônios a mais, fatalmente você tem que manjar de política.

Na época dos protestos sobre aumento das tarifas de transportes, ouvia muita gente dizendo que o brasileiro não sabia protestar, ou que só fazia baderna, fulerage e putaria  e que a Grécia e qualquer outro pais sabe, menos o Brasil. Pois bem, este livro fala de como a Holanda, esta mesmo da Laranja Mecânica, virou a Disney dos adultos e um dos países mais desenvolvidos do mundo mundial. Este livro também é importante por que influenciaram muitos protestos “invisíveis” por aí. Não sei se vocês repararam, mas na frente do Masp na Av. Paulista, (se você mora em São Paulo) em um canteiro perto dali, tem uma bicicleta pintada de branco amarada em uma árvore, sabe por quê? Não? Então leia o livro e você vai entender…

5 – A Insustentável Leveza do Ser – Milan Kundera

1296111346

Essa capa é da adaptação para o cinema, mas deixa esta mesmo, tá bunita num tá?

 

Então você quer romance? Então toma romance.

Mas com politica ok?

ahe he he há! AHAHHHAUEAHEUAHEUAEUHEUHEUAHEUAE

Sabe uma coisa que me deixa muito, muito curioso? É o tempo em que vivemos, as pessoas se acostumaram a engolir tudo sem pensar em nada, sem paciência, as pessoas querem ter inteligência sem SEQUER abrir um livro, querem o jeito fácil e rápido, por isto não estudam, não buscam conhecimento profundo ficando sempre nas regiões baixas do conhecimento por ESCOLHA PRÓPRIA e depois a culpa é do governo e/ou do PT por que não quis estudar.

Mas, como sei que meus leitores são gente boa e que buscam cultura e que tem sede do saber, vou explicar pra amiga dona de casa sobre o que é o livro.

Mas já que falamos de sede do saber…

Enfim, deixa eu explicar logo, que este post já tá mais longo que minha dívida com Jesus de Nazaré…

A história se passa durante a primavera de Praga nos eventos de 1968 (ano importante este, pesquisa lá…) e vara anos contando os amores de quatro (AAAOOOWWWW ESSA ZOERA AIII) personagens. Seus amores e dissabores da vida.

E sim, leitora afoita, tem saliência, muita, e beeem antes de 50 Tons de merda Cinza.

Além disto tudo tem um monte de questões filosóficas, como a Teoria do Nietzsche (diabo de nome feio seu…) do Eterno Retorno entre outras, mas de um modo fácil de compreender.

E o melhor de tudo, pode ler no metrô que não dá grilo…

4 – Dom Casmurro – Machado de Assis

capitupeq

Olha a Rede Bobo acertando pelo menos nesta.

Prova ai que a Capitu Não traiu o Bentinho Motherfucker! Prova pô!

Este aqui é, como no caso do Shakespeare e do Marx, uma Obra Introdutória, não por menos, ela é dada para ler na escola pra prestar aquela merda de vestibular que atormenta os jovens anualmente.

O que é um erro, por que é uma putcha obra apresentada, muitas vezes, sem o devido respeito e que passa batido pelos jovens, que afinal, são jovens e por sinal são tolos… e não mete esta de que eu não conheço dos jovens não, você já foi jovem e se é jovem, corre grande risco de ser tolo e não saber…

*

*

*

Ainda tá aqui? Não deu certo…

Machado de Assis era um gênio, só não ganhou louros internacionais, por que ia contra o poder e claro, era negro… Neste livro ele disseca a sociedade de seu tempo, ao mesmo tempo que nos conta a vida do protagonista,com sua ironia impecável ele narra quem foi Bentinho e seu amor por Capitu.

Só isso? Como assim? Só isso e muita beleza poética na vida e na história do homem, como ele é fruto do seu tempo e como a Sociedade molda e controla o homem, como você, só que as cordas ficam mais escondidas e para vê-las adivinha? Tem que estudar, e pra estudar, pelo menos enquanto não inventarem um IPod mágico, tem que ler…

3 – Mate-me por favor -Legs McNeil e Gilliam McCain

mateme

Basicamente conta a história do que é o Punk, de Andy Warhol e o Velvet Underground passando por Ramones (aquela banda que sua mina usa a camiseta, mas nunca ouviu) Television, Patti Smith (que tem um livro foda também) Sex Pistols, The Clash, Blondie, Iggy Pop, MC5, Talking Heads, The Police, até o fim do movimento Punk quando muita coisa começa a acontecer… mas já é spoiler…

Por exemplo, quando alguém fala pra você sobre punk você já pensa num cara de moicano correto? Meu amigo, Isto não é punk, pelo menos não naos moldes descritos pelos autores do livro.

Conta a história que Richard Hell do Television, teria usado uma camiseta escrito Mate-me por favor, daí o nome do livro. 

Este livro trata do fenômeno Punk, da Blank Generation, da Factory, do CBGB contada por quem criou o movimento, querendo ou não…

A Factory Já apareceu no Watchmen, no MIB 3, o Mark Rufallo usa uma camiseta do CBGB no filme De repente 30, isto só pra citar cinema…

Por falar em cinema, tem um filme do CBGB homônimo que é praticamente uma adaptação deste livro, e um documentário chamado Blank Generation, recomendo também.

2 – O Lobo da Esepe – Herman Hesse

steppenwolf-bantam-1969

Este é um dos meus favoritos, mas já que eu só falo merda, vou deixar a tia Clarice (aquela) te influenciar, solta ai disque jóquei:

“Depois desse livro, adquiri confiança daquilo que deveria ser, como queria ser e o que deveria fazer”.

“Isso eu li aos 13 anos, me deu uma febre danada”

“E eu, que já escrevia pequenos contos, dos treze aos catorze anos fui germinada por Hermann Hesse e comecei a escrever um longo conto imitando-o: a viagem interior me fascinava. Eu havia entrado em contato com a grande literatura”.

Well  drugi… Se isto não convence…

Trata-se de um cara inteligente, misantropo, alcoólatra, e por causa disto depressivo por que pensa muito na vida… Não sabe como viver e nem tem gosto por ela, até que conhece um lugar chamado Teatro Mágico (já viu este nome antes? pois é…) e sua vida começa a mudar…

Este livro foi um antes/depois pra mim, eu vivi uma época meio insana na vida e quando e li este livro, parecia que o escritor falava o que eu pensava, o que eu sentia, coisa que só aconteceu com outro livro (o próximo). Mas claro, cada um tem percepções e você pode achar um lixo, não sei…

vou deixar uma pra vocês, segura aí:

“Quanta miséria e desatino temos de passar para conseguir chegar em casa!”

1 – O Encontro Marcado – Fernando Sabino

77026_234

Sabe aquela máxima de nunca julgar um livro pela capa? Taí um excelente exemplo.

Pela capa, para nós acostumados com livros luxuosos e caros com capas brilhantes e com conteúdo fétido, deixamos este passar batido. Mas para mim este é o livro da minha vida.

Mais um livro de formação. Assim como o anterior. Narra a vida de Eduardo Marciano, de sua infância á vida adulta, seus amores, seus amigos, sua vida.

Por que este livro é tão bom?

Ele é, basicamente (muito basicamente) nosso Apanhador no Campo de Centeio do J.D. Salinger só que muito melhor, por que é brasileiro. Eu não entendo Gringices ás vezes… Tudo bem assistir filme gringo, desde que você assista filme nacional também (não vou entrar nesta discussão aqui) No caso de livros é a mesma coisa, este livro fala do seu dia-a-dia pálpavelmente ou não? Ou o quê? você fez o colegial no High School é isso? Tinha Teen Leader na sua escola? Você voltava dirigindo pra casa com 16 anos? Jogava Futebol americano? Quando seus pais saiam você dava uma festa e era o rei da escola? É isso? É? aaah tá…

Dizia eu que a aritmética… É o livro mais sensacional, por que fala de esperança, de caminhos sem retorno, de escolhas, de amor, de vida, de amizade, de separações, de noites passadas sozinho, noites passadas com amigos em botecos, de luz de neon, de cigarro na chuva, de padaria, de mulheres, de família, enfim, é um livro sobre a vida real e o que fazemos com ela.

Clarice (aquela) era amiga do Fernando e amava o livro, aliás, este foi o único bom que li do Fernando até agora, por que o resto é porcaria mesmo…

Pra finalizar vou deixar um trecho do livro só pra meter água nas vossas bocas.

” — Imagine um elefante — disse ele.
— Um elefante — disse o garçom.
— Imagine dois.
— Hum…
— Um não: dois!
— Eu sei: dois.
— Imagine três. Dez. Vinte.
— Vinte elefantes — sorriu o garçom.
— Agora, imagine cem, duzentos, mil.
— Mil?
— Mil. Se você é capaz. De mil, cinqüenta mil, cem mil elefantes. Você é capaz?
–…
— Pois agora imagine um Milhão!Um milhão de elefantes galopando, um milhão! Já imaginou?
— Poeira, hein?
— Poeira, nada: elefantes! Um milhão. Um bilhão chega?
— Um bilhão — o garçom repetiu.
— Novecentos bilhões. Novecentos e noventa e nove trilhões! De elefantes. Não posso mais. Acho que chega, você que acha?
— É muito elefante — concordou o garçom.
— É: muito. Pois agora você imagine uma pulga.
— Uma pulga — e o garçom suspirou, resignado.
— Isso: novecentos e noventa e nove trilhões de elefantes de um lado: e uma pulga, do outro lado. — Morou?
— Não.
–É o terror — arrematou ele. Me dá um uísque “

 

Menção Honrosa:

A Bíblia (por que, né…)

As Crônicas de Nárnia – C.S. Lewis

A Mãe – Máximo Górki

Anna Karenina – Leon Tolstói

(aliás, ontem 09/09/2014) seria aniversário dele

Os Diários de Che Guevara

Batismo de Sangue – Frei Betto

Cem Sonetos de Amor – Pablo Neruda

1984 – George Orwell

Admirável Mundo Novo – Aldous Huxley

Paraíso Perdido – John Milton

A Divina Comédia – Dante Alighieri

Ulisses – James Joyce

As Flores do Mal – Charles Baudelaire

Uma Temporada no Inferno – Arthur Rimbaud

Lolita – Vladmir Nabokov

O Príncipe – Nicolau Maquiavél

O Pequeno Príncipe – Antoine de Saint-Exupéry

(é citei esse mesmo, e citei cinicamente aqui mesmo, eu li e achei lindo)

Horror em Amityville – Jay Anson 

On The Road – Jack Kerouac

Neuromancer – William Gibson

O Conde de Monte Cristo – Alexandre Dumas

A Dama das Camélias – Alexandre Dumas Filho

Aforismos – Oscar Wilde

Memórias do Subsolo – Fiodor Dostoiévski

Antígona – Sófocles

 

Se você chegou até aqui, tá de parabéns, se aguenta ler meus posts então aguenta qualquer coisa…

Abraço a todos! E obrigado!

9MXxgaD

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s